fbpx

Em entrevista ao #LivresNotícia desta segunda-feira (19), a médica Roberta Grabert, líder Livres e candidata a vereadora pelo partido Novo em São Paulo-SP, falou sobre o combate à pandemia do novo coronavírus na cidade e os desafios da saúde no município para os próximos quatro anos.

“Causa muita estranheza que a primeira atitude do nosso governo com a chegada da pandemia foi fechar a transparência”, criticou Roberta. De acordo com a médica, é possível obter dados na plataforma de transparência, mas eles estão escondidos e são de difícil acesso à população. “Primeiro passo é simplificar”, ressaltou.

A agilidade do SUS em São Paulo também é uma preocupação da candidata. “Com a pandemia, vimos a importância de um sistema de saúde, mas o SUS precisa ser muito aprimorado”, destacou. “No caso das Unidades Básicas de Saúde, a urgência é mitigar as filas, tanto para consultas quanto para cirurgias, a partir do uso da tecnologia”.

A médica ainda repercutiu a recente apresentação do Governo Federal sobre a eficácia da nitazoxanida no combate a covid-19. “É muito triste e é um desprezo por aquilo que eu mais prezo, a vida das pessoas”, comentou Roberta. “A covid é uma doença nova e a comunidade médica está aprendendo com ela todos os dias. Isso é uma picaretagem”, concluiu.

Confira a entrevista completa no #LivresNotícia: