fbpx

No Brasil, há uma medida no Ministério da Saúde que, na prática, proíbe homens gays de doarem sangue. A portaria A restrição remete a um tempo em que os testes para HIV e outras doenças tinha uma qualidade muito inferior ao que existe hoje, quando nada justifica uma restr

Não fosse suficiente o preconceito dessa medida, há uma questão prática e imediata.

O Hemorio, banco de sangue do Rio de Janeiro, estima uma queda de 50% no estoque durante a pandemia, dado que as pessoas não deveriam sair de casa para ir doar. Enquanto isso, cerca de 10,5 milhões de homens gays não podem doar sangue em função de um dos critérios do Ministério da Saúde, em que homens que tiveram relações sexuais com outros homens em um período de 12 meses estão impedidos.

Em números absolutos, são desperdiçados mais de 18 milhões de litros de sangue por ano, apenas por essa medida.

O Livres enviou um ofício ao Ministério da Saúde, pedindo a revisão da medida que impede homens gays ou HSH de doarem sangue. Leia o ofício clicando aqui.