fbpx

A Comissão de Educação da Câmara Municipal de Belo Horizonte, presidida pela mandatária Livres Marcela Trópia, realizou na última quinta-feira (26), em ambiente virtual, uma Audiência Pública para discutir o problema da evasão e do abandono escolar na capital mineira.

O evento contou com a participação dos especialistas Ricardo Paes de Barros (Insper), membro do Conselho Acadêmico do Livres; Cláudia Maria Costin (FGV); Carolina Campos (Vozes pela Educação) e Bárbara Panseri (Fundação Lemann). Além destes, também foram convidadas a secretária municipal de Educação de Belo Horizonte, Ângela Dalben, a secretária Estadual de Educação de Minas Gerais, Julia Sant’Anna, e a secretária Municipal de Educação de Fortaleza, Dalila Freitas.

Uma pesquisa do C6 Bank/Datafolha, realizada entre novembro e dezembro de 2020, aponta que, durante a pandemia, em 2020, 4 milhões de estudantes brasileiros, entre 6 e 34 anos, abandonaram os estudos. Desses, mais de 17% não pretendiam voltar a estudar neste ano, o que configura a evasão. Muitos perderam o interesse pelos estudos, não tiveram acesso a qualquer aula, não se adaptaram ao ensino remoto, ou tiveram que começar a trabalhar para ajudar na renda familiar e deixaram os estudos de lado.

“O atual cenário de pandemia agravou ainda mais a situação, sobretudo pelo longo fechamento das escolas e a dificuldade da Prefeitura em estabelecer um ensino à distância de maneira estruturada. Precisamos continuar garantindo o retorno seguro das aulas presenciais, mas também pensar nos alunos que abandonaram os estudos no meio do caminho e como contornar essa situação para que não tenhamos mais desistências”, afirmou a vereadora Marcela Trópia. Para a parlamentar, o abandono e a evasão escolar são problemas sociais complexos, que comprometem diretamente as políticas públicas educacionais na cidade e por isso precisam ser discutidos.