fbpx

A maioria dos brasileiros apoia uma política de avaliação de desempenho para servidores públicos. A pesquisa realizada pelo instituto Ideia Big Data foi encomendada pelo Livres e entrevistou mais de 1600 pessoas por telefone celular, entre os dias 6 e 11 de janeiro, com recortes de classe social, faixa etária, gênero, escolaridade e região.

Na pesquisa, 68% se disseram favoráveis à avaliação de desempenho para servidores públicos (84% do grupo que ganha mais de cinco salários mínimos se mostraram favoráveis); 20% nem a favor nem contra e só 12% contra.

“O objetivo do Livres com a pesquisa é dar subsídio para os parlamentares sobre a Reforma Administrativa, apresentada no Congresso em setembro do ano passado, mas ainda paralisada”, explica Paulo Gontijo, diretor executivo do movimento, “nós temos o costume de auxiliar nossos parlamentares com estudos, pesquisas, levantamentos e consultorias para que sempre seja tomada a melhor decisão”, finaliza.

O estudo também mostra que 48% são a favor da aplicação de provas práticas para servidores, 29% nem a favor nem contra e 6% contra.

Um ponto que teve larga maioria de apoio é o processo de ocupação de cargos de confiança com base em critérios mais objetivos: 35% creem que deve ser sempre feito por concurso, 33% apoiam que as vagas devem ser preenchidas por avaliação de currículo, experiência profissional e processo seletivo, e apenas 14% por pura e simples indicação.

“A pesquisa mostra que o brasileiro valoriza o trabalho do servidor, mas que quer um Estado mais eficiente e com incentivos bem desenhados. Ou seja, o servidor precisa mostrar que está atendendo metas de desempenho e que tem a capacidade para ser promovido, por exemplo”, afirma Gontijo.

Outros dados:

– 69% dos entrevistados defendem que todos os servidores sejam afetados pela regra de estabilidade, incluindo o que já estão e serviço;

– 55% acham que servidores em função obsoleta devem manter contrato e salário, mas devem ser transferidos para uma outra função;

– 44% acham que o servidor deve trabalhar em qualquer lugar que houver necessidade de sua mão de obra e não apenas para onde prestou o concurso;

– 45% acham que a criação de um órgão para gestão de pessoas pelo governo federal melhoraria a gestão de servidores.

Confira o relatório completo da pesquisa Livres/Ideia aqui.