fbpx

Ainda tabu no Brasil, a educação domiciliar é regulamentada em 62 países pelo mundo e está com sua constitucionalidade em análise pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O membro do Livres – ES Luan Sperandio participou nessa quinta-feira (30) de debate na TV Vitória sobre o assunto.

Ressaltando que a educação domiciliar não se coloca como “anti-escola”, Luan defendeu a liberdade dos pais definirem qual modelo é mais adequado a seus filhos. Contrapondo argumentos de que o afastamento das crianças do ambiente escolar causaria problemas de socialização a elas, Sperandio apresentou dados e evidências, além de expor os principais motivos pelos quais cerca de 7 mil famílias brasileiras decidiram utilizar o denominado homeschooling para educar seus filhos.

Por fim, o capixaba ressaltou que a legalização da educação domiciliar no país abriria oportunidade para que diversas famílias que não confiam integralmente na escola tradicional, mas que ainda se sentem sem segurança jurídica, pudessem optar pelo modelo, que pode ser executado por empresas privadas e acompanhado pelo Poder Público.

A educação domiciliar é pauta prioritária do movimento liberal. Nem todos os alunos se adaptam ao ambiente escolar e nem toda escola é compatível com as necessidades filosóficas, religiosas ou mesmo de estrutura das famílias. O direito à educação domiciliar é uma ode à liberdade.

Clique para assistir à íntegra do debate