fbpx

Graças à burocracia do Ministério da Saúde, os usuários da Farmácia Popular, em sua grande maioria idosos – e, portanto, grupo de risco ao novo coronavírus – precisam sair de casa para pegar seus remédios.

O regulamento da Farmácia Popular exige que os beneficiários devem ir buscar pessoalmente os remédios. Esse é um grande problema. No contexto da pandemia de Coronavírus, os idosos não devem sair de casa para evitar o risco de contaminação pela Covid-19. Hoje a alternativa é que uma pessoa jovem e saudável, fora do grupo de risco, vá retirar o medicamento em nome do idoso portando uma procuração com firma reconhecida em cartório.

Para eliminar essa burocracia, só o Ministério da Saúde pode corrigir a situação. Para isso, dois mandatários associados do Livres estão atuando em conjunto. O deputado estadual Guilherme da Cunha (NOVO-MG) e o deputado federal Tiago Mitraud (NOVO-MG) estão pleiteando junto ao Ministério da Saúde a alteração do anexo LXXVII da PRC 5/2017, a fim de admitir que qualquer pessoa portando o RG do beneficiário seja autorizada a retirar a medicação na Farmácia Popular.

Como medida de controle, as farmácias poderiam fotografar o RG do beneficiário e o documento do representante, da receita médica e do rosto do representante. Esperamos que o Ministério da Saúde atenda à sugestão dos nossos associados o mais rápido possível.

Burocracia também mata. Não podemos manter barreiras artificiais que dificultem a vida de quem mais precisa neste momento tão crítico.