fbpx

O economista Ricardo Paes de Barros, um dos criadores do Bolsa Família e conselheiro acadêmico do Livres, falou nesta terça-feira (18) ao Estadão sobre sua vasta pesquisa em política social e educação.

Com o debate sobre o gasto público em educação voltando à tona por conta da votação do novo Fundeb, Paes de Barros criticou a destinação de no mínimo 70% dos recursos do Fundeb para o pagamento dos profissionais de educação básica. Para o economista, é mais importante observar como o dinheiro é gasto do que a quantidade de dinheiro investido.

Ele relembra que entre 4% a 6% do PIB dos países ao redor do mundo é gasto em educação, o que consome ao menos de 15% a 20% das despesas públicas. O Brasil gastou, na média de 2014 a 2017, mais que 6% do PIB, à frente de 83% de outros países.

Porém, ele acredita que ainda não há dados suficientes. “As evidências ainda são muito indiretas, e só convencem quem já está convencido; nós, que acreditamos nisso [na preponderância do problema da eficiência do gasto] precisamos de evidências mais sólidas e contundentes”, disse Paes de Barros. “É preciso descartar cada possível crítica, para chegarmos a uma evidência irrefutável, que convença qualquer um”, conclui.

Confira a matéria na íntegra aqui.