Há como o liberalismo ser revolucionário? Se pensarmos no contexto em que as ideias de John Locke surgiram, a resposta é positiva.

Para compreender o que faz o pensamento do filósofo inglês tão influente e radical, o Clube do Livro, no seu segundo mês, fará a leitura de Dois tratados sobre o governo. Publicado anonimamente em 1681, a obra de dois volumes é um dos textos mais importantes da história moderna, defendendo a ideia de que todos os homens não só são iguais, mas também não precisam de reis para decidirem os rumos políticos de sua nação.

Quem é John Locke

John Locke foi um filósofo e físico inglês, que viveu entre 1632 e 1704. Ele é considerado por muitos um dos principais representantes do empirismo britânico, assim como um dos maiores pensadores da concepção de contrato social.

Seus trabalhos também envolvem teorias sobre a natureza do conhecimento, a liberdade e a tolerância religiosa. As suas contribuições filosóficas foram fundamentais para o pensamento liberal e as movimentações que levaram à declaração da independência dos EUA.

A obra

Dois tratados sobre o governo é um clássico do pensamento moderno. Com mais de 100 edições, influenciou revoltas e derrubou os argumentos de Robert Filmer sobre o patriarcalismo. Mas, mais importante do que isso, defendeu a ideia de um governo voltado a defender a liberdade, a vida e a propriedade.