Fábio Ostermann e Giuseppe Riesgo, deputados estaduais eleitos no Rio Grande do Sul e associados Livres, renunciaram ao auxílio-mudança dado a novos parlamentares. Ambos divulgaram em suas redes sociais documentos em que recusam o “auxílio” e comunicam discordar da existência do privilégio à Assembleia Legislativa gaúcha.
“A responsabilidade com o dinheiro do contribuinte faz parte dos meus princípios, e o fim de privilégios para políticos é uma das principais frentes em que atuarei durante meu mandato. Por isso, recusar este auxílio nada mais é do que uma atitude coerente”, destacou Riesgo.
Atualmente, o valor de R$25,3 mil é pago aos 55 deputados estaduais no início e no término do mandato. Deputados reeleitos chegam a receber em dobro. O resultado é um custo acumulado de pelo menos R$2,7 milhões para os cofres públicos.
Otimista, Ostermann foca em estabelecer o precedente para tornar a renúncia de privilégios algo comum entre parlamentares. “Acreditamos que é dando o exemplo que mudaremos a cultura política brasileira”, disse Fábio.