fbpx

O associado Jota Júnior, membro da setorial Luís Gama (Antirracismo) do Livres, apresentou nesta quinta-feira (30) em suas redes sociais o registro de mensagens racistas contra ele enviadas à sua namorada Amanda Klimick por parte de Álvaro Hauschild, estudante de doutorado da UFRGS.

O estudante sugeriu a Amanda que arrumasse um namorado “à altura” e chamando Jota de “palhaço de circo”. Hauschild ainda insinuou que o casal seria incapaz de ter filhos “harmônicos” por conta da cor de pele do nosso associado.

Além de publicar imagens da conversa, Jota Júnior desabafou nas redes sociais. “Não há nada que me orgulhe mais na vida do que ser negro”, escreveu. “Acredito que isso me oferece uma base histórica e força espiritual para seguir em busca dos meus ideais”.

Jota também explicou que, na grande maioria das vezes, o racismo ocorre em decorrência da ignorância, mas que não foi o caso. “Estamos falando de um doutorando da melhor universidade federal do país. A saída é a exposição, denúncia, e meu sentimento de pena por um indivíduo tão pequeno”, disse.

O Livres se solidariza com o associado Jota Júnior e reafirma seu compromisso em defesa da luta contra o racismo. Este ato, completamente incompatível com uma sociedade livre, merece todo o nosso repúdio.