#1 A renovação do passaporte diplomático do bispo Edir Macedo, proprietário da emissora evangélica. Distribuição do privilégio havia sido interrompida pelo governo Temer. Bolsonaro decidiu repetir iniciativa de Lula renovada por Dilma.

#2 TV Record teve crescimento de 659% em verba publicitária do governo federal em relação ao mesmo trimestre do ano passado e, apesar de não ser líder de audiência, se tornou a TV que mais recebe recursos do governo.

– Em 2017, quando a Secretaria de Comunicação começou a divulgar detalhadamente os gastos no setor, a Record recebeu R$ 1,21 milhão, ficando em 3º lugar em faturamento, atrás de Globo e SBT.

– Em 2018, embolsou R$ 1,308 milhão, superando o SBT, mas ficando atrás da Globo.

– Este ano, saltou para R$10,3 milhões, no mesmo período!

O pior de tudo: o gasto abusivo com propaganda do governo, caríssima e paga com nosso dinheiro, saltou em todas as emissoras em 2019, inclusive para a Globo, que recebeu um acréscimo de 19%.

#3 Notório crítico da imprensa profissional, Bolsonaro têm dado entrevistas exclusivas para a Record desde o começo do mandato.

#4 Na semana passada, Bolsonaro teve encontro com mais de 100 líderes evangélicos num hotel de luxo carioca, o que inclui o bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus. Acompanhado do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e do presidente do STF, Dias Toffoli, o presidente da República disse que ganhou “quase por milagre”, que seu mandato é uma “missão de Deus” e que o Brasil está orientando suas decisões sobre direitos humanos na ONU a partir de um trecho da Bíblia – João 8:32.

Como você interpreta essas 4 coincidências?