fbpx

O mundo melhora a partir da convivência entre os diferentes. Para isso, é preciso substituir a energia violenta que deseja aniquilar o adversário pela capacidade de construir projetos comuns.

Nesse contexto, a liberdade de expressão é um importante fator de paz social. Quando a divergência pode ocorrer na linguagem, não precisa acontecer na força.

Mas, diante de uma sociedade cada vez mais polarizada, como exercitar o diálogo? Esse é o principal papel dos liberais por inteiro.

Quem defende isso é o deputado estadual Guilherme da Cunha, vice-lider do governo Zema na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, associado do Livres e membro da Bancada da Liberdade.