fbpx

No século XX, dois valores polarizaram o debate político: de um lado, a liberdade representada pelas democracias liberais capitalistas; do outro, a igualdade representada pelas ditaduras socialistas que levaram à morte, miséria e completa ausência de liberdades. Pensando a partir da realidade do século XXI, o professor Gustavo Binenbojm busca superar essa dicotomia propondo uma conciliação entre ambos os princípios. Ele desenvolve sua proposta refletindo, a partir da sua trajetória profissional como advogado, a respeito dos desafios concretos colocados pela história do Brasil, um país repleto de contradições e injustiças persistentes desde a formação patrimonialista do Estado no período da colonização. Suas conclusões estão desenvolvidas no livro Liberdade igual: o que é e por que importa, sua publicação mais recente.

Professor titular de direito da UERJ e um dos juristas mais respeitados do país, Gustavo Binenbojm foi o advogado responsável por causas icônicas em defesa da liberdade de expressão que foram apreciadas pelo STF nas últimas décadas, como o direito à publicação de biografias não autorizadas e a questão do direito ao esquecimento. Nesta edição do #LivresEntrevista, Mano Ferreira recebeu o reforço de Elena Landau e Izabela Patriota para uma conversa que ainda abordou os desafios atuais da liberdade de expressão no país, os conflitos entre os poderes da República, os abusos do governo federal e os excessos cometidos do Supremo Tribunal Federal. #LivresEntrevista #Liberalismo #LiberdadeDeExpressão #STF