Em meio às tensões crescentes com a polêmica do BR Exit e a expectativa de crescimento da extrema direita, a Europa foi às urnas no último fim de semana para definir a nova configuração do Parlamento Europeu, onde os partidos nacionais se unem numa espécie de confederação partidária continental. O resultado foi uma diminuição das cadeiras dos dois grupos que historicamente dominam o parlamento, os Democratas Cristãos (de centro-direita) e os Socialistas Democratas (de centro-esquerda) com um grande crescimento dos Liberais e dos Verdes e uma estabilização das forças nacionalistas de extrema-direita. Doutorando em Políticas Públicas na Alemanha, nosso diretor de Políticas Públicas Magno Karl comentou o resultado.