As posses de membros da Bancada Da Liberdade na última semana deixaram muito evidentes as diferenças entre mandatários que realmente praticam seu discurso daqueles que usam palavras bonitas, mas acabam as deixam longe da realidade. Um grande exemplo vem do Rio Grande do Sul e foi destacado ontem pelo Jornal do Comércio.

Enquanto os deputados estaduais associados Fabio Ostermann e Giuseppe Riesgo montaram equipes de trabalho enxutas e eficientes com apenas 7 assessores que os levaram a abrir mão de praticamente metade da mobília de seus gabinetes, a também deputada estadual gaúcha Luciana Genro, ex-candidata a presidência da República pelo PSOL, reclamou da suposta falta de espaço para acomodar os seus 17 assessores.

Abrir mão de privilégios e cortar gastos de gabinete é dar o exemplo, cortando da própria carne, para que o dinheiro do pagador de impostos seja utilizado na ponta, em serviços diretos e prioritários que realmente atendem às necessidades mais importantes da população, como saúde, educação e segurança.